Vidros Temperados

Após um tratamento térmico gradativo que chega a 700º C, acompanhado de brusco resfriamento, tem-se um vidro temperado. O processo de têmpera é feito em forno vertical ou horizontal – este último é mais moderno, não apresenta marcas de pinças e possibilita a produção de grandes chapas e pequenas espessuras. Tal técnica de têmpera provoca no vidro tensões internas (tração e compressão) que lhe fornece resistência mecânica até cinco vezes superior, além de resistência a impactos e variações de temperatura. Testes apontam que o aumento da resistência permite a um vidro temperado de 8 mm suportar o choque de uma esfera de aço de 500 g em queda livre, a partir de uma altura de 2 m. A mesma esfera provoca a quebra de um vidro de 8 mm, não temperado, em uma queda livre de 0,3 m. Já a resistência a variações térmicas podem chegar a até 200º C. O temperado é também considerado vidro de segurança porque em situações de quebra, o vidro se fragmenta em pequenos pedaços de bordas pouco cortantes. Após temperados, os vidros não podem ser cortados nem furados; recomenda-se que não sejam jateados. Apenas o vidro temperado pode ser utilizado como peça única, sem caixilhos, para a produção de portas de vidro.

A Disvidro possui fácil acesso ao vidro temperado, fornecendo o produto em tempo bastante reduzido.